Como as mudanças climáticas afetam o oceano?

Não é novidade para ninguém que as mudanças climáticas têm forte impacto sobre os oceanos, isso já vem sendo discutido há um certo tempo por cientistas e especialistas e tem ganhado cada vez mais notória divulgação nas mídias.  

Os oceanos desempenham papel crucial no ciclo hidrológico, uma vez que possuem 97% de todo volume de água da Terra, cerca de 86% da evaporação global ocorre nos oceanos e isso faz com que sejam responsáveis por fornecer parte de vapor de água presente na atmosfera (CAMPOS, 2014). Adicionalmente, a precipitação sobre os oceanos é equivalente a 78% em relação a precipitação global, sendo assim “parte das águas evaporadas do mar precipita sobre os continentes e, eventualmente, retorna ao oceano, nesse ciclo, o oceano troca com os continentes cerca de 40 mil quilômetros cúbicos de água por ano, um fluxo mais de seis vezes superior à descarga do Rio Amazonas” (CAMPOS, 2014, p. 57). 

Captura de Tela 2021 03 15 às 16.05.53

Segundo uma matéria publicada pela Jovem Pan em 2020, a temperatura média dos oceanos subiu pelo terceiro ano seguido em 2019 e a água apresentou um índice de 0,075 °C mais quente. A matéria ainda evidencia que nas últimas seis décadas a temperatura subiu 450% e isso levou a um aumento de 46 milímetros no nível do mar. 

Quais são as consequências das mudanças climáticas?

Uma elevação mínima do valor médio global da temperatura, devido a maior concentração de CO2 na atmosfera e mudanças nos gradientes térmicos espaciais, contribui para mudanças expressivas nos regimes de ventos, chuvas e outras trocas de propriedades entre o oceano e a atmosfera. O efeito dessas mudanças pode alterar significativamente o sistema de correntes e as propriedades físicas e químicas, colocando em risco o ecossistema marinho. Além disso, "as alterações nas propriedades das massas de água e na circulação oceânica podem causar mudanças duradouras, ou até mesmo permanentes, no sistema climático” (CAMPOS, 2014, p. 57).

Uma pesquisa publicada na revista Advances in Atmospheric Sciences evidenciou que as águas absorveram grande parte do aquecimento global. De acordo com cientistas, é como se o mar tivesse retido o calor liberado pela explosão de 3,6 bilhões de bombas atômicas — como a de Hiroshima.

Outro problema resultante do aumento de temperatura é a acidificação do oceano que é ocasionada pela capacidade reduzida de absorção ou retenção de carbono, e deste modo contribui para o aumento da concentração de CO2 na atmosfera. Além disso, há também a elevação do nível do mar devido ao degelo de calotas polares e geleiras continentais. Pesquisas indicam que entre 1850 e 2010 o nível do mar subiu em média 24 centímetros (KOPP et al., 2009; MILLER & DOUGLAS, 2004; IPCC AR5, cap. 3; 2013). 

polar bear 709682 1920

Segundo Greenpeace (2019) “se a temperatura do planeta aumentar em mais de 3°C até o ano de 2100, o nível do mar vai subir até um metro, forçando a retirada de milhões de pessoas de áreas costeiras. Além disso, os cientistas concluíram que, mesmo se for possível frear a velocidade do aquecimento global e a temperatura média do planeta subir no máximo 1,5°C, vamos perder até 90% dos corais que vivem nas áreas mais quentes dos oceanos”.

O que podemos fazer?

O oceano é base para economia, é meio de subsistência e fonte de alimento (mais de dois bilhões de pessoas dependem direta ou indiretamente dos ecossistemas marinhos, que fornecem aproximadamente 170 milhões de toneladas de frutos do mar por ano, cerca de 15% de toda a proteína consumida pelos seres humanos -  Painel Intergovernamental para Mudanças Climáticas – IPCC, 2019), fonte de energia, matéria-prima para diversos compostos, tem papel importante no turismo e ainda produz cerca de 50% do oxigênio que respiramos. Protegê-lo é essencial para a vida! 

Algumas dicas que você pode seguir e contribuir para a conservação do oceano são:

- Reduzir a Pegada Ecológica e Consumo de energia: deixe o carro em casa sempre que possível: isso ajuda a reduzir a quantidade de CO2 na atmosfera. Use lâmpadas fluorescentes compactas e use escada em vez do elevador. 

- Consumir menos plástico: os plásticos são os vilões dos oceanos, assim opte por sacolas e garrafas reutilizáveis, evite comprar alimentos que contenham embalagens de uso único e recicle sempre que possível.

- Cuidar da praia: leve sempre seu lixo consigo e ensine e incentive outras pessoas a fazerem o mesmo.

- Apoiar instituições que têm como objetivo proteger os oceanos: com isso você estará contribuindo para uma mudança na sociedade, educando as pessoas e transmitindo informações importantes para a proteção do oceano. 

No dia 17 de março às 19:00 o Instituto Água Sustentável promoverá a Mesa de Debate Década da Ciência Oceânica e Paixão pelo Mar com os palestrantes: Amyr Klink, Karen de Oliveira Silverwood e Alexander Turra. Não fique de fora, seja um parceiro na conservação do oceano! Inscreva-se aqui: https://materiais.aguasustentavel.org.br/mes-da-agua-do-professor-agua-oceanos

imagem divulgação evento 17.03 reduzido

Fonte das informações:

CAMPOS, 2014: http://www.io.usp.br/images/noticias/papel_oceanos_clima.pdf

Greenpeace, 2019: https://www.greenpeace.org/brasil/blog/ipcc-srocc-oceanos-emergencia-climatica-tratado-global-dos-oceanos/

IPCC – Intergovernmental Panel on Climate Change, Working Group I Contribution to the Fifth Assessment Report, Climate Change 2013 – the Physical Science Basis. 

Jovem Pan, 2020:

https://jovempan.com.br/programas/jornal-da-manha/temperatura-dos-oceanos-cresceu-450-nos-ultimos-60-anos.html

KOPP, R. E. et al. Probabilistic Assessment of Sea level During the last Inter-glacial Stage. Nature, 462, 2009, pp. 863-7.

MILLER L.; DOUGLAS, B. C. Mass and Volume contributions to 20th century Global Sea level rise. Nature, 428, 2004, pp. 406-9. 

Painel Intergovernamental para Mudanças Climáticas – IPCC, 2019: https://www.ipcc.ch/site/assets/uploads/sites/3/2019/11/03_SROCC_SPM_FINAL.pdf

O Instituto Água Sustentável promove o uso sustentável da água através do desenvolvimento de estudos, projetos e pesquisas e da realização de eventos científicos e educativos. 2020 © Todos os direitos reservados.