7 iniciativas que fizeram toda a diferença para o meio ambiente

Ações que promovem o bem-estar social e ambiental estão cada vez mais ganhando espaço no dia-a-dia das organizações, seja grandes organizações ou empresas de pequeno e médio porte, e tem mostrado que exercem significativo impacto nos objetivos, valores, estratégias e visão da empresa. A ética empresarial está em constante evolução e projetos que visem a sustentabilidade em qualquer campo (ambiental, social ou econômico) tem se destacado e agora faz parte do planejamento e desenvolvimento. 

Assim, empresas têm investido em projetos que objetivam a conservação do meio ambiente e conforme a tendência que se segue isto se tornará cada vez mais comum. As organizações começaram a entender que para o desenvolvimento de uma nação é necessário ações que alcancem todas as esferas da sociedade civil.

Este artigo apresenta 7 iniciativas que fizeram a diferença para o meio ambiente, empresas que pensaram no meio ambiente e implementaram ações importantes para a sua conservação, pois o tempo é agora!

blog1 960

Empresas que deram o exemplo:

  •   Natura - Presente em 7 países da América Latina e na França, com lucro líquido de R$ 61 milhões no terceiro trimestre de 2017, a Natura é conhecida por apoiar projetos sustentáveis. Uma das principais referências da empresa nessa área é o Programa Logística Reversa, o programa consiste em retirar de circulação embalagens e materiais já utilizados para encaminhá-los à reciclagem, adicionalmente, a Natura também oferece a opção de refil para seus produtos, o que contribui para evitar a quantidade de lixo no meio ambiente.

A Natura também adotou a “Tabela Ambiental” publicada em seus produtos, e que informa o impacto ambiental de cada item, a não realização de testes em animais, a vegetalização dos produtos com a substituição de matérias-primas animal e mineral por vegetal, a substituição do álcool comum pelo orgânico certificado. Outro projeto muito importante desenvolvido pela empresa é o cálculo de Pegada Hídrica, a fim de eliminar o excessivo consumo e poluição de água ao longo de sua cadeia de produção.

  •   Coca-Cola –  A Coca-Cola obteve lucro de US$1,182 bilhões no primeiro trimestre de 2017 e também é conhecida por desenvolver projetos que promovem a conservação do meio ambiente e melhorias para a sociedade. A empresa reformulou a estratégia de ação em uma nova plataforma chamada “Água+”, o objetivo é retornar para o meio ambiente e para as comunidades uma quantidade de água maior do que a utilizada nos processos de produção. 

A empresa estabeleceu como meta até 2020 alcançar o volume de 1,68 litro de água utilizada por litro de bebida produzida. Desde 2001, quando foi iniciado esse monitoramento, a redução já chegou a quase 30%.

As inovações nas linhas de produção como a modernização de equipamentos também trazem benefícios importantes. Desde 2012, a geração de efluentes vem apresentando índices menores, alcançando o percentual de redução de 35,4%. As principais razões que justificam a melhoria do indicador são as iniciativas de eficiência hídrica e a evolução nos processos produtivos.

blog2960

A ideia do projeto é fazer a limpeza progressiva do mar e da areia na Reserva Ecológica Marapendi, no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro. Para que isso seja possível, foram planejadas diversas ações, como a coleta manual do lixo e a produção de materiais de conscientização sobre a preservação do local. A iniciativa é da ONG Guardiões da Mata Atlântica.

A captação de energia solar ainda é um grande desafio no Brasil e no mundo. Mas um material sustentável pode ajudar a popularizar o uso dessas energias limpas em breve. É uma tinta orgânica capaz de transformar energia solar em energia elétrica. Por ser mais maleável, ela pode ser aplicada nas mais diversas superfícies (de mochilas a fachadas de prédios). Aqui no Brasil, os responsáveis pelo material são os pesquisadores da CSEM Brasil.

A Papel Semente é uma empresa especializada em transformar papéis recicláveis em papéis que podem ser plantados. No processo de fabricação semi-artesanal, sementes são implantadas no papel, deixando-os apto para serem plantados no solo. A empresa produz papéis com as sementes escolhidas pelos clientes. Podem ser de cenoura, tomate ou até mesmo cravo-francês e margaridas.

O projeto Latitude, criado pela Timberland, produziu 500 cases de celular exclusivos, feitos com madeira de reuso. Parte do valor arrecadado com a venda do produto foi usada para plantar novas árvores na região de São Carlos, no interior de São Paulo. 

“Para quem não tem tempo de plantar, existem alternativas virtuais para colaborar com o reflorestamento”, sendo um exemplo a  Ecosia, ferramenta de busca similar ao Google. O lucro gerado a partir das pesquisas feitas pelos usuários é revertido para plantar árvores em várias partes do mundo, até agora já foram cultivadas mais de 100 milhões de árvores.

Essas ações geram ganho de mercado e credibilidade

Atualmente é cada vez mais notável que para empresas a responsabilidade social é vista como uma tática para aumentar sua receita e impulsionar seu crescimento, sendo que a maior conscientização do consumidor, que muitas vezes opta por produtos que por trás tenham práticas que gerem melhorias tanto para o meio ambiente como para sociedade, estimula as organizações a investirem em projetos socioambientais. Um exemplo disso é o aumento da venda de produtos orgânicos produzidos por pequenas comunidades rurais, empresas que tenham algum tipo de certificação ou selo ambiental.

Uma matéria publicada na Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios em 2014 diz que quando um consumidor tem a opção de fazer negócios com uma empresa ambientalmente correta, que apoia instituições e contribui para a melhoria de seu entorno e outra que vende o mesmo produto mas não aborda esses aspectos, a decisão é clara, a primeira empresa é sempre a escolhida. 

 Com a maior competividade do mercado as empresas tendem a investir em processos de gerenciamento com algum diferencial. Ações socioambientais se bem estruturadas e desenvolvidas podem dar a empresa uma posição de destaque, e deste modo permite colher bons frutos, pois torna-se mais conhecida e com isso aumentam suas vendas e promove a sua marca de forma positiva. André Boudon já mencionava na Revista Negócios que promover o bem-estar social e ambiental será um fator decisivo para o sucesso nos negócios. 

Rosabeth Moss Kanter publicou uma matéria na Harvard Business Review onde fala que uma grande organização trabalha pelo lucro (óbvio), mas no caminho para obtê-lo investe no fortalecimento da sociedade e também destaco aqui a conservação do meio ambiente. Rosabeth também diz que grandes empresas buscam algo maior do que transações para garantir seu propósito e sentido. 

blog3960

De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em parceria com a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) apresentou que 10% das carteiras dos bancos brasileiros já correspondem a empresas que colocam as preocupações socioambientais entre suas prioridades (Agência Sebrae de Notícias, 2018) e  o reconhecimento pode ser demonstrado com certificações internacionais. 

São numerosos os artigos e notícias que falam sobre o investimento e apoio a projetos socioambientais e sua relação direta com ganho no mercado e credibilidade de uma empresa, sendo que isto já vem sendo discutido e comprovado. 

Fontes de Informações:

André Boudon

Agência Sebrae de Notícias

Case para celular sustentável

Coca-Cola

Ecosia

Harvard Business Review

Natura

Papel semente

Projeto

Reservalores

Revista Negócios

Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Tinta que gera energia

 

 

 

 

 

 

O Instituto Água Sustentável promove o uso sustentável da água através do desenvolvimento de estudos, projetos e pesquisas e da realização de eventos científicos e educativos. 2020 © Todos os direitos reservados.