Como diminuir a poluição no transporte?

Impactos à saúde e ao meio ambiente devido à poluição atmosférica são cada vez mais recorrentes e os transportes têm uma significativa parcela de culpa. De acordo com WIR Brasil Cidades Sustentáveis (2015) a poluição do ar é responsável por 3,7 milhões de mortes por ano e segundo o Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) as emissões provenientes dos transportes devem dobrar até 2050. Os principais poluentes provenientes de veículos são: monóxido de carbono (CO), dióxido de carbono (CO2), óxidos de nitrogênios (NOx), óxidos sulfúricos (SOx), aldeídos (COH), metano (CH4), material particulado e hidrocarbonetos aromáticos. 

A Lei n° 8.723/1993 é a lei que dispõe sobre a redução de emissão de poluentes por veículos automotores. Além disso, a Resolução Conama nº 03/1989 dispõe sobre níveis de emissão de aldeídos no gás e escapamento de veículos automotores. 

Veículos são grandes vilões da poluição do ar

Nos centros urbanos o diesel é responsável pelos poluentes que saem dos escapamentos de veículos de carga, como por exemplo ônibus e caminhões, e são lançados diretamente no ar, além disso, a motorização privada e individual é responsável por um terço das viagens realizadas nas áreas urbanas e responde por 73% das emissões de gases poluentes (WIR BRASIL CIDADES SUSTENTÁVEIS, 2015).

bangkok 1990263 1920

Até 2018 o número de veículos somente no Estado de São Paulo era um pouco mais de 29 milhões, sendo na sua maior parte  automóveis e motocicletas (IBGE, 2018). Diante destes números é evidente a preocupação que devemos ter com a poluição atmosférica (destaca-se aqui que a poluição do ar não é causada somente por veículos) e na comemoração do Dia Mundial Sem Carro, 22 de setembro, destacamos algumas ações que contribuem para diminuir a poluição causada por transportes.

Dia Mundial Sem Carro – dicas para diminuir a poluição do ar provocada por transportes

  • Uso de transporte público: segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) um usuário de automóvel emite quase oito vezes mais dióxido de carbono que um usuário de ônibus e 36 vezes mais que um usuário de metrô;
  •  Manutenção preventiva: a manutenção adequada da frota de transportes ou mesmo do automóvel individual é importante para redução dos danos ambientais e promover um transporte mais sustentável;
  •  Caminhões sem carga: o modal rodoviário brasileiro roda 40% do tempo sem carga, sendo que o total de quilômetros  percorrido desta maneira daria para realizar 300 mil voltas ao mundo (CARGO, 2020). Por isso é necessário estratégias para diminuir a ociosidade dos caminhões nas rodovias e isso pode ser realizado através da tecnologia. Por exemplo, utilizar softwares capazes de identificar caminhoneiros que se ajustam a necessidade da empresa, ou seja, os caminhoneiros podem aproveitar a volta para fazer transporte de carga para uma outra empresa
  •  Veículos elétricos e híbridos: já é uma realidade e não emitem gases poluentes;
  •  Escolha de combustível: o álcool é um combustível que tem menos impacto no meio ambiente atmosférico. De acordo com a Cargo (2020) o etanol de cana de açúcar, pode reduzir a emissão de carbono de caminhões de carga em até 92%;
  • Uso de bicicleta: substituir o veículo pela bicicleta é a melhor opção de transporte, pois emite 0 gás poluente e é uma excelente opção para se exercitar no dia a dia!

Fonte: Iniciativa Verde; WIR Brasil Cidades Sustentáveis, 2015

Coloque em prática estas dicas e vamos lembrar sempre que o impacto causado no ar não é só prejudicial ao meio ambiente, mas principalmente a saúde humana.

181201813115868708 lxlor

Referências:

CARGO, 2020

IBGE, 2018

WIR Brasil Cidades Sustentáveis (2015)

 

O Instituto Água Sustentável promove o uso sustentável da água através do desenvolvimento de estudos, projetos e pesquisas e da realização de eventos científicos e educativos. 2020 © Todos os direitos reservados.