Como diminuir a poluição no transporte?

Impactos à saúde e ao meio ambiente devido à poluição atmosférica são cada vez mais recorrentes e os transportes têm uma significativa parcela de culpa. De acordo com WIR Brasil Cidades Sustentáveis (2015) a poluição do ar é responsável por 3,7 milhões de mortes por ano e segundo o Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) as emissões provenientes dos transportes devem dobrar até 2050. Os principais poluentes provenientes de veículos são: monóxido de carbono (CO), dióxido de carbono (CO2), óxidos de nitrogênios (NOx), óxidos sulfúricos (SOx), aldeídos (COH), metano (CH4), material particulado e hidrocarbonetos aromáticos. 

A Lei n° 8.723/1993 é a lei que dispõe sobre a redução de emissão de poluentes por veículos automotores. Além disso, a Resolução Conama nº 03/1989 dispõe sobre níveis de emissão de aldeídos no gás e escapamento de veículos automotores. 

Veículos são grandes vilões da poluição do ar

Nos centros urbanos o diesel é responsável pelos poluentes que saem dos escapamentos de veículos de carga, como por exemplo ônibus e caminhões, e são lançados diretamente no ar, além disso, a motorização privada e individual é responsável por um terço das viagens realizadas nas áreas urbanas e responde por 73% das emissões de gases poluentes (WIR BRASIL CIDADES SUSTENTÁVEIS, 2015).

bangkok 1990263 1920

Até 2018 o número de veículos somente no Estado de São Paulo era um pouco mais de 29 milhões, sendo na sua maior parte  automóveis e motocicletas (IBGE, 2018). Diante destes números é evidente a preocupação que devemos ter com a poluição atmosférica (destaca-se aqui que a poluição do ar não é causada somente por veículos) e na comemoração do Dia Mundial Sem Carro, 22 de setembro, destacamos algumas ações que contribuem para diminuir a poluição causada por transportes.

Dia Mundial Sem Carro – dicas para diminuir a poluição do ar provocada por transportes

  • Uso de transporte público: segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) um usuário de automóvel emite quase oito vezes mais dióxido de carbono que um usuário de ônibus e 36 vezes mais que um usuário de metrô;
  •  Manutenção preventiva: a manutenção adequada da frota de transportes ou mesmo do automóvel individual é importante para redução dos danos ambientais e promover um transporte mais sustentável;
  •  Caminhões sem carga: o modal rodoviário brasileiro roda 40% do tempo sem carga, sendo que o total de quilômetros  percorrido desta maneira daria para realizar 300 mil voltas ao mundo (CARGO, 2020). Por isso é necessário estratégias para diminuir a ociosidade dos caminhões nas rodovias e isso pode ser realizado através da tecnologia. Por exemplo, utilizar softwares capazes de identificar caminhoneiros que se ajustam a necessidade da empresa, ou seja, os caminhoneiros podem aproveitar a volta para fazer transporte de carga para uma outra empresa
  •  Veículos elétricos e híbridos: já é uma realidade e não emitem gases poluentes;
  •  Escolha de combustível: o álcool é um combustível que tem menos impacto no meio ambiente atmosférico. De acordo com a Cargo (2020) o etanol de cana de açúcar, pode reduzir a emissão de carbono de caminhões de carga em até 92%;
  • Uso de bicicleta: substituir o veículo pela bicicleta é a melhor opção de transporte, pois emite 0 gás poluente e é uma excelente opção para se exercitar no dia a dia!

Fonte: Iniciativa Verde; WIR Brasil Cidades Sustentáveis, 2015

Coloque em prática estas dicas e vamos lembrar sempre que o impacto causado no ar não é só prejudicial ao meio ambiente, mas principalmente a saúde humana.

181201813115868708 lxlor

Referências:

CARGO, 2020

IBGE, 2018

WIR Brasil Cidades Sustentáveis (2015)

 

The Água Sustentável Institute promotes the sustainable use of water through the development of studies, projects and research and the holding of scientific and educational events.
2021 © All rights reserved.